Use seus dados do Meu Rotary
    
  Lembrar     

Notícias dos Clubes   

   

Parceria viabiliza unidade para conforto familiar.

02/05/2018


RC Praia Grande Caiçara

O local é uma conquista do serviço de humanização, em parceria com unidades do Rotary Club de Praia Grande. 
 
O momento de dor enfrentado por familiares de pacientes com quadro clínico de morte cerebral é um grande inconveniente para a abordagem sobre a doação de órgãos ou não.  
Para o devido acolhimento dos parentes, uma sala foi destinada especialmente para o atendimento, no Hospital Municipal Irmã Dulce, permitindo maior sensibilização e receptividade ao tema.  
O local é uma conquista do serviço de Humanização, em parceria com unidades do Rotary Club de Praia Grande. 
 
Localizada ao lado da UTI Adulto, no 4° andar, a sala de entrevista familiar também pode ser usada para comunicação sobre patologias de pessoas hospitalizadas, o que também requer, muitas vezes, um tratamento especial, 
 
De acordo com a enfermeira responsável pela Comissão de Humanização do Complexo Hospitalar, Josefa Carlos Cavalcante de Araujo, o ambiente favorece o trabalho das equipes na solidariedade aos que sofrem um diagnóstico indesejável. Nada pode devolver a alegria a alguém que sofre uma perda ou enfrenta trauma pelo adoecimento de um familiar, mas um local adequado pode proporcionar um pouco de conforto a essas pessoas, destacou. 
 
Alem de poder amenizar eventuais noticias desagradáveis, o novo espaço pode servir para tranquilizar acompanhantes. Conforme a Gerente Geral de Enfermagem, Renata Meroti, quem acompanha um paciente pode também adoecer, caso não cuide bem da própria saúde. Muitos não querem sair de perto do familiar em tratamento e, algumas vezes, é preciso conscientizá-los que isso não é necessário. Este local foi idealizado também com esta finalidade, disse. 
 
O aparelhamento da sala de entrevista familiar conta com novo mobiliário e ambientação, viabilizado com recursos provenientes do Rotary Club que já mantem a brinquedoteca do Irmã Dulce, localizada no Pediatria do Hospital Municipal, no 5° andar. 
 
Essa matéria saiu no mês de Maio em um jornal regional.